Skip to content

O capitalista , o socialista e a crise ,

Nesta semana que passou a construção civil bombou nas manchetes dos principais jornais do Brasil. A busca desesperada pelo crédito que sumiu tem mobilizado o setor ,governo , agentes financiadores em torno de uma saída que mantenha um nível razoável de crescimento sem escangalhar ainda mais as contas públicas . 

Para fechar com “chave de ouro” a semana de “hit parade” o título de primeira capa da Folha de domingo , 17 de maio, “Construção deve ter pior ano desde 2003, com juros altos e gasto menor”. 

Acabou a festa ? 

Na própria matéria a economista Ana Maria Castelo da FGV dava conta que , como qualquer festa , esta também teria hora para acabar, “Com o fim do ciclo de crescimento que teve seu auge em 2012, já haveria um ciclo de ajustes. Com o cenário econômico mais complicado, esse ajuste pode se prolongar.”  E José Carlos Martins, presidente da Cbic (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), “Chegamos ao fundo do poço, mas a tendência é de uma retomada na sequência”. 

Outra festa então . 

No mesmo jornal , mas numa entrevista exclusiva ,  o sociólogo Francisco Oliveira , fundador do PT e do PSOL , nos acalmando a todos com sua avaliação sobre  a crise atual “Aqui, não. Aqui é como um baile: está tudo em movimento. Dá uma sensação ao mesmo tempo de pressa e de angustia. Porque você nunca está sossegado. E isso é ótimo. A pior coisa é a estagnação.”

Fundador do PT e do PSOL…vão pensar o que de mim agora ?

 Mas sabem de quem ouvi comentário iguaizinho , de esperança por estarem vendo as coisas em movimento e longe de estagnadas ? Daqueles empresários animados com o segundo semestre que mencionei no post ” Gates pub “.

Até usaram a mesma expressão do  sociólogo , ” Há movimento …”

Gates Pub

Escuto dois empresários ,cada um em momentos distintos , dizerem que estão esperançosos quanto à  melhoria do mercado imobiliário da cidade já agora no segundo semestre .

Tomara mesmo. Se a maré está brava para todo mundo , para a construção civil parece estar um tanto pior e em Brasília mais um tanto ainda – Por várias razões…

Passamos por uma situação estranha,  os valores dos imóveis caem e mesmo assim as pessoas não os compram e quem os aluga ,não consegue pagar .

Nessa semana passei em frente ao Gates Pub na 403 sul e vi a faixa de “Aluga” pendurada no local onde antes havia o luminoso que apresentava a atração da noite .

Não sei se o bar chegou a deixar órfão ou viúva ,mas toca uma melancolia saber que mais esta espécie de ícone sociocultural  se foi.

Aos  domingos -centenas atrás – lá costumava ter uma vitrola de boa dancing música , lado B do LP, época em que governo honrava contrato e ao menos 9 entre 12 músicas do bolachão eram Top.

Aqueles dois empresários mencionados no início do post também são Top. Arrojados , perceberam que senão crescessem seriam engolidos , ficariam  impressados numa esquina , como o Gates , alvo fácil para a crise. 

Assim como o Gates…e como muita construtora…encurralados.
  

Jardim Mangueiral – Jardins.

Em meio a um cipoal de dificuldades , na sua totalidade ligadas à falta de dinheiro em caixa , uma notícia bacana sobre o PMCMV .

Matéria publicada no site do Estadão de hoje , 13 de maio, informa que “Empreendimentos do Minha Casa Minha Vida de todo o País vão replicar projetos que foram certificados como boas soluções em questões relativas a alimentação, educação, energia, geração de renda, meio ambiente e saúde. “

O projeto , dentro do projeto , será bancado pela Fundação Banco do Brasil e investirá em ações já validadas outras comunidades de perfil social semelhante . Melhor ainda , não será replicado de forma indiscriminada mas , segundo a matéria , “em 124 empreendimentos do programa de habitação popular nas cinco regiões brasileiras. Ao todo, serão atendidas 330 mil pessoas que vivem em 83 mil moradias. Foram selecionadas 38 entidades para capacitar os moradores do programa.”

Mesmo com todas as críticas que recebe , muitas como a utilização política do programa ,bastante bem vindas , torço para que o PMCMV passe pela tormenta de agora mais fortalecido ; viabilizado financeiramente , com especificações técnicas que garantam maior qualidade às moradias e indutor de ações sócioculturais como as citadas na matéria do Estadão .

Muro de Arrimo

A placa da construtora me chamou a atenção , mais ainda por causa do local inusitado onde estava instalada. Abaixo da caixa de incêndio de uma das entradas do prédio , centímetros acima do rodapé . Uma placa de alumínio de 30 x 30 cm de muito , escrito MÉTODO . Parecendo coisa de grife , um detalhe que se apresenta apenas a entendidos do assunto . 

A senhora que nos ciceroneava  entendeu logo a boa impressão que causara a descoberta . ” _já viram o tamanho do muro de arrimo que tem lá atrás ? Foi uma das duas únicas empresas de fundação do país com Know-How para tal tipo de obra que foi a contratada ” . Não sossegou enquanto não nos apresentou a maravilha . “_Nao me recordo do nome , tenho lá comigo o cartão “. Tornaria a lamentar o esquecimento no momento do aperto de mãos de despedida. “_Mando junto com a proposta !”

Dera de cara mais uma vez num muro de arrimo em pouco mais de uma semana . O primeiro estava com uma trinca vertical feia aparente , parecia que o período intenso de chuvas inchara o talude a suas costas e que o mesmo começara a ceder sob a ação do peso .

Pequenos detalhes. A grama de proteção estava rala , caminho aberto para o mato graçar e água infiltrar. Será que um geotécnico elaborou o projeto deste muro ? Ou enganados por sua altura lá no começo , baixinho, acharam que uma solução caseira daria conta do taludao que nele se apoia ?

Muitas patologias em obras , quando não graves acidentes , acontecem a partir de medidas ingênuas tomadas pela equipe de obras.  


   

     

Sentar e Pensar

O repórter do UOL quer saber se é mesmo possível construir quatro casas por dia , como prega uma tecnologia usada na China . “_Porque não ? ” Respondo . Provável que não aqui , mas hoje em dia ,com a quantidade de materiais e sistemas construtivos à disposição , basta sentar e pensar.

No Brasil não se senta mais para pensar. Sentasse e se pensasse não aconteceria situações como a mostrada em matéria divulgada na Folha de 09 de maio, com o estado de São Paulo doando caixas de água para a população da periferia  meramente para ficarem estocadas no quintal da casa destes em vez de nas prateleiras das lojas, já que  não dispõem de dinheiro para as instalarem  no alto do telhado . 

Porque não fornecer o kit completo ? Bastava uma parceria com uma destas faculdades de engenharia , que, públicas ou privadas, aparecem todas quebradas e mostram pouco retorno à população em termos  de resultados concretos . Algo como uma pesquisa rapidamente contratada junto instituições de fomento , um prêmio S…de Inovação , uma bolsa de iniciação científica . 

Algo que extrapolasse a mera promessa política . ” Este grupo de estudantes , bolsistas do FIES, estimulados por uma bolsa da empresa de tubos e conexões de PVC …, conseguiram em menos dois meses criar três kits de instalação de caixas de água que viabilizam a montagem rápida destes equipamentos imprescindíveis para acúmulo do líquido precioso de forma a minimizar o impacto de eventuais racionamentos ; um para quem tem espaço entre forro e telhado , um para quem tem que construir a estrutura fora e outro ….. ” 

Simples assim…sentar e pensar.

Jardim Mangueiral 

Na semana passada li não sei se na Folha ou Estadao que o governo federal tem  débito de R$ 1,5 bilhões de reais, relativos ao PMCMV, a ser quitado junto às construtoras . 

Um misto de crise econômica , inapetência administrativa e confusão política pode fazer malograr um dos mais importantes programas sociais do país .

Da rodovia não dá para enxergar o Jardim Mangueiral , que fica numa baixada. A sinalização não ajuda.

A avenida de acesso nos conduz por um ermo de cerrado e então começam a apontar alguns prédios. Aos poucos o novo bairro se apresenta. A estrada interna de acesso , estreita e já recapeada, frusta, isto e mais o vazio de espaços reservados para comércio , há um ou dois prontos  e outro  em construção , dá impressão de desalento . Mas é só a primeira impressão.

As ruas estão todas lá , casas gêmeas , quintais abertos , grama Esmeralda , bicicletas largadas em frente às casas , crianças brincando . O conjunto lembra , sem demérito algum , aqueles bairros de subúrbio americano que assistimos em desenhos animados .

Condomínio fechado , portaria , segurança . Iguaizinho aos condomínios , boa parte ilegais, com os quais faz fronteira . 

Quando o estado quer , pode sim fazer algo muito bem feito .

Lindo o Jardim Mangueiral. 

Grau de Risco- Vida é Risco.

Na Folha da véspera do dia do trabalhador o desassossego da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) com a crise na cadeia de Óleo e Gás em razão dos reflexos da Operação Lava Jato sobre a  Petrobrás.

Segundo a matéria ” De acordo com Carlos Pastoriza  , presidente da entidade , 200 empresas estão prestes a quebrar porque não recebem das empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato ” . O presidente afirma ” maquinas foram vendidas às empreiteiras para obras no setor de óleo e gás . Muitas delas não pagam e sequer conseguimos encontrar alguém para conversar . Ou os donos das empresas estão presos ou os diretores desapareceram , não falam com ninguém “.

Não tinham ideia  do risco que corriam …

Durante o 25° Congresso Brasileiro  do Aço , realizado na cidade de São Paulo em 12 e 13 de agosto do ano passado , João Veloso , então presidente da Abimaq , pronunciava algo assim , ” A indústria nacional deve ser fortalecida …deve-se aplicar política de conteúdo local nas concorrências”.

Por outro lado ,Eloi Fernandez y Fernandez , Diretor Geral da Organização Nacional da Indústria  do Petróleo -ONIP , alertava ” …o fato de termos apenas um cliente , Petrobras , dificulta …”.

Ok, as frases estão um tanto fora de contexto , mas também  disseram o que escrevi no parágrafo acima. 

Extrapolando um pouco o ponto de vista do José Carlos , post “Grau de Risco – Para o Silvio” , vale fazer projeto , mas vida é risco . 

O seminário foi bruscamente cancelado no segundo dia em virtude da queda  do avião , que vitimou  o então candidato à presidente da república, Eduardo Campos , além de todos os demais tripulantes e passageiros.

Vida é risco .

https://paraconstruir.wordpress.com/2014/08/13/25-congresso-brasileiro-do-aco-parte-v-competitividade-sistemica-da-industria-nacional/

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 463 outros seguidores